Sunday, 17 March 2013

#Sinai: 8 year old girl is about to be sold to criminals and her mother will be gang-raped before her eyes (#Egypt) / #Sinai: oito anos garota está prestes a ser vendido para criminosos e sua mãe vai ser estuprada diante de suas olhos (#Egito)

Originally posted by @jonamorem at Words & Swords at http://jonamorem.blogspot.ca/2013/03/sinai-8-year-old-girl-is-about-to-be.html?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter

Postado originalmente por @jonamorem em Words & Swords em http://jonamorem.blogspot.ca/2013/03/sinai-8-year-old-girl-is-about-to-be.html?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter

The Sinai is a beautiful peninsula piece of desert land situated between the main land of Egypt on the one and the Red Sea and Israel on the other side. It is known for its tourist attractions in the south like the St. Catherine's monastery at the foot of Mount Sinai and the numerous exceptional diving sites at Nuweiba, Dahab or Sharm el-Sheik. Many tourists visit the South Sinai for holidays and marvel at the beauty. But little do they know that only a few hundred kilometres further north human tragedies of an unbelievable volume are happening daily – which tomorrow will cost an 8 year old girl her family and her sanity.

O Sinai é uma peça bonita península de terra desértica situada entre a terra firme do Egito em um e do Mar Vermelho e Israel do outro lado. Ele é conhecido por suas atrações turísticas do sul, como o mosteiro de Santa Catarina ao pé do Monte Sinai e os inúmeros locais de mergulho excepcionais em Nuweiba, Dahab ou Sharm el-Sheik. Muitos turistas visitam o Sinai do Sul para férias e se maravilhar com a beleza. Mas poucos sabem que apenas algumas centenas de quilômetros mais ao norte tragédias humanas de um volume incrível estão acontecendo diariamente - que amanhã vai custar uma menina de 8 anos de idade sua família e sua sanidade.

For years with the knowledge – and some suspect the consent – of the Egyptian government human trafficking has been going on in the north-western part of the Sinai with Bedouins from the Rashaida tribe holding human refugees hostage, demanding unbelievable sums of money for their release. The hostages, mainly from Eritrea but also from Ethiopia and Sudan, are often kidnapped in the South Sudan after fleeing their violent countries, some kidnapped even right from the UNHCR refugee camps in the region, then transported to the Sinai where they are held in underground locations or buildings housing up to 100 and more. They are subjected to unspeakable torture as the kidnappers try to press ransom money from the hostages relatives. For this purpose the kidnappers hand cell phones to the hostages and force them to call their relatives at home or overseas begging for the enormous sums of money that can reach up to $ 50,000 per person. 


Por anos com o conhecimento - e alguns suspeitam o consentimento - do governo egípcio tráfico humano vem acontecendo na parte norte-ocidental do Sinai com beduínos da tribo Rashaida refém refugiados humana, exigindo somas inacreditáveis ​​de dinheiro para sua libertação . Os reféns, principalmente da Eritreia, mas também da Etiópia e Sudão, muitas vezes são sequestrados no Sudão do Sul depois de fugir de seus países violentos, alguns sequestrados mesmo direito dos campos de refugiados do ACNUR na região, em seguida, transportados para o Sinai, onde eles são mantidos no subsolo locais ou edifícios de habitação até 100 e mais. Eles são submetidos a torturas indizíveis como os seqüestradores tentar pressionar dinheiro do resgate dos parentes reféns. Para este efeito, os seqüestradores telefones celulares mão para os reféns e forçá-los a ligar para seus parentes em casa ou no exterior pedindo as enormes somas de dinheiro que podem chegar a até US $ 50.000 por pessoa.

To make sure the relatives get the urgency of the matter, the kidnappers torture the victims while they are talking on the phone by beating them or dropping hot melted plastic on their naked bodies. Other hostages are beaten, burnt or even raped in the background to produce the right noise level to intimidate the hostages relatives to extremes. After such horrible phone calls not only are the hostages badly injured and traumatised, their relatives are frightened too and seek to do anything to get their family members out of the hands of these brutal gangsters. This the kidnappers know and have therefore scaled up on the brutality to an extent that is barely possible to believe or describe. The hostages are brutally beaten, burnt, hung up by their feet or hands for days, raped with plastic pipes or even – in the case of the women – hot iron rods. Eric Schwarzt, until 2011 U.S. Assistant Secretary of State for Population, Refugees and Migration, has worked on human rights issues for more than 25 years. But, he says: "I have rarely if ever heard about abuses as dreadful as those perpetrated against migrants by theses smugglers."

Para certificar-se os parentes obter a urgência da questão, os sequestradores torturar as vítimas, enquanto eles estão falando no telefone, batendo nelas ou deixar cair plástico derretido quente em seus corpos nus. Outros reféns são espancados, queimados ou até mesmo estuprada no fundo para produzir o nível de ruído direito de intimidar os familiares reféns a extremos. Depois telefone horrível como chama não só são os reféns gravemente feridos e traumatizados, seus parentes estão com medo e também procurar fazer qualquer coisa para conseguir seus familiares fora das mãos desses bandidos brutais. Este seqüestradores os conhecemos, e, portanto, escalado em cima da brutalidade de uma forma que é quase impossível de acreditar ou descrever. Os reféns são brutalmente espancado, queimado, pendurado pelos pés ou as mãos para dias estupradas com tubos de plástico ou até mesmo - no caso das mulheres - barras de ferro quente. Eric Schwarzt, até 2011, secretário adjunto de Estado dos EUA para a População, Refugiados e Migração, trabalhou em questões de direitos humanos há mais de 25 anos. Mas, ele diz: "Eu tenho raramente ou nunca ouviu falar sobre abusos como terrível como aqueles perpetrados contra os migrantes por contrabandistas teses."

These abuses are the bitter reality for 8 year old Ahlam, an Eritrean girl currently held hostage in the Sinai with her father and mother. They all have been subjected to heavy beatings and witnessed the brutal killings of other hostages just this week. The kidnappers demand $ 40,000 ransom payable until tomorrow, Sunday, or they will take bitter revenge. The father will be beaten, as has happened before, more so the kidnappers have announced that the mother will be publicly gang-raped by other hostages forced to undertake this. Forced gang-rapes of female hostages performed by male hostages at gun point occur frequently at these camps. There is no doubt that the mother will be subjected to this horrific crime. To top it all however the kidnappers have announced that, should the ransom not be paid by tomorrow, they will sell 8 year old Ahlam to other kidnapping gangs and forcefully remove her from her parents for ever. 

Estes abusos são a realidade amarga para 8 Ahlam anos de idade, uma menina eritréia atualmente mantidos reféns no Sinai com o pai ea mãe. Todos eles foram submetidos a espancamentos pesados ​​e testemunhou os assassinatos brutais de outros reféns apenas esta semana. Os sequestradores exigem resgate $ 40.000 a pagar até amanhã, domingo, ou eles vão vingar amargo. O pai vai ser batido, como já aconteceu antes, mais do que os sequestradores anunciaram que a mãe vai ser publicamente estuprada por outros reféns forçado a realizar isso. Forçados-Gang estupros de mulheres reféns realizadas por reféns do sexo masculino no ponto de arma ocorrem frequentemente nestes campos. Não há dúvida de que a mãe vai ser submetida a este crime horrível. Para cima de tudo no entanto, os sequestradores anunciaram que, caso o resgate ser pago até amanhã, eles vão vender 8 Ahlam anos a gangues de seqüestro outros e com força removê-la de seus pais para sempre.

Ahlam knows this, as do her parents. In a telephone call on March 12 to the Swedish-Eritrean radio journalist Meron Estefanos, who regularly keeps phone contacts with the hostages and tries to connect to family who can provide help, both the scared father of Ahlam but also the girl herself have spoken of the horrors that await them tomorrow in the Sinai if the ransom money is not paid. Ahlam told how frightened she was as two male hostages had been brutally murdered that day in front of her eyes – and in response to her crying the kidnappers had grabbed and beat her. The girl was terrified when she spoke of the kidnappers announcement to sell her off on Sunday to other Bedouin gangs.

Ahlam sabe disso, assim como seus pais. Em um telefonema em 12 de março com a sueco-eritreu radialista Meron Estefanos, que regularmente mantém contatos telefônicos com os reféns e tenta conectar-se a família que pode fornecer ajuda, tanto o pai com medo de Ahlam, mas também a própria menina ter falado de os horrores que os esperam amanhã, no Sinai, se o dinheiro do resgate não for pago. Ahlam contou como ela estava assustada como reféns dois homens foram brutalmente assassinados naquele dia na frente de seus olhos - e em resposta a ela chorando os seqüestradores tinham agarrado e vencê-la. A menina estava apavorada quando ela falou do anúncio seqüestradores para vendê-la no domingo a gangues beduínos outros.

Estefanos and others engaged in trying to help the horribly abused and often mutilated hostages in the Sinai started a donation campaign on the internet to raise the ransom money so that Ahlam could be saved. Until tonight just around $ 15,000 could be raised, not even half of what the kidnappers demand. Whether this will be enough to at least put the gang-rape of the mother and the selling of Ahlam to other criminals on hold is hard to tell. It must be feared that the kidnappers will do at least the one or the other to heighten the pressure on those that try to raise money for Ahlam and her parents to be released. More than once the demanded ransom was paid but the hostages were not given freedom but passed on to other kidnappers who in turn started to demand money or else would kill the hostages. No one can say what tomorrow will bring for Ahlam and her parents.

Estefanos e outras pessoas envolvidas na tentativa de ajudar os reféns terrivelmente abusados ​​e muitas vezes mutilado no Sinai começou uma campanha de doação na internet para levantar o dinheiro do resgate para que Ahlam poderia ser salvo. Até hoje apenas cerca de $ 15.000 poderia ser levantada, nem mesmo a metade do que a demanda dos seqüestradores. Se isso vai ser o suficiente para pelo menos colocar a gangue estupro da mãe e da venda de Ahlam para outros criminosos em espera é difícil dizer. Ele deve ser temido que os seqüestradores vai fazer pelo menos a um ou outro para aumentar a pressão sobre aqueles que tentam levantar dinheiro para Ahlam e seus pais para ser lançado. Mais de uma vez o resgate exigido foi pago, mas os reféns não foram dadas a liberdade, mas passou para outros seqüestradores que por sua vez passaram a exigir dinheiro ou então iria matar os reféns. Ninguém pode dizer o que o amanhã trará para Ahlam e seus pais.

Despite the fact that the human trafficking and the horrific abuses of hostages in the thousands has been going on for years, is well documented and known, no Egyptian government to this day has made any attempt to secure the freedom of the people who suffer unbelievably at the hands of these brutal gangs. The reasons are speculated on, but no official indication has ever been given why these human rights violations on such a scale are allowed to go on daily in the Sinai. Fact is that there is no hope of any intervention by army or security forces on behalf of Ahlam, her parents and the many hostages held captive with them in an unknown location in the desert. No one will come to their rescue tomorrow. Their fate is sealed.

Apesar do fato de que o tráfico de seres humanos e os abusos horríveis de reféns na casa dos milhares já se arrasta por anos, está bem documentado e conhecido, nenhum governo egípcio para este dia tenha feito qualquer tentativa de assegurar a liberdade das pessoas que sofrem incrivelmente em nas mãos dessas gangues brutais. As razões são especulado, mas nenhuma indicação oficial já foi dado por estas violações de direitos humanos em uma escala estão autorizados a ir diariamente no Sinai. Fato é que não há nenhuma esperança de qualquer intervenção do Exército ou das forças de segurança em nome de Ahlam, seus pais e muitos dos reféns mantidos em cativeiro com eles em um local desconhecido no deserto. Ninguém vai vir em seu socorro amanhã. O seu destino está selado.

While we go to bed tonight looking forward to a bright new Sunday tomorrow, 8 year old Ahlam and her parents will not be able to close their eyes this night, shivering with fear in the knowledge of the horrors that will await them tomorrow. And they know the horrors will come. 

Enquanto vamos para a cama hoje à noite a expectativa de um brilhante amanhã domingo nova, 8 anos de idade e Ahlam seus pais não será capaz de fechar os olhos esta noite, tremendo de medo no conhecimento dos horrores que os esperam amanhã. E eles sabem os horrores virá.

Now you know too.
Agora você sabe também.
______________________________________________


The original telephone conversation between Merano Estefanos and Ahlam and her parents this week. Listen/read to know what will happen tomorrow in the Sinai, the piece of land everyone loves so much:

A conversa telefônica original entre Merano Estefanos e Ahlam e seus pais esta semana. Ouvir / ler para saber o que vai acontecer amanhã, no Sinai, o pedaço de terra todos tanto ama:


No comments:

Post a Comment